RELAÇÕES MORFOMÉTRICAS, RENDIMENTO E COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE CORTES DA CARNE DE ARRAIAS CAPTURADAS NO RESERVATÓRIO DE ITAIPU

Pablo Davi Kirchheim, Eduardo Antônio Sanches, Giovano Neumann, Lucélia Tessaro, Maurício Spagnolo Adames, Robie Allan Bombardelli

Resumo


O presente trabalho foi conduzido com o objetivo de avaliar a morfometria, o rendimento e a composição centesimal de cortes da carne de arraias de água doce capturadas no reservatório de Itaipu. Para os estudos de morfometria e rendimento de cortes foram utilizados 60 animais, distribuídos em delineamento experimental inteiramente casualizado, com três classes de peso corporal (500g, de 501 a 700g e acima de 700g). Houve efeito (p<0,05) do peso em relação ao percentual de resíduos, com maiores índices em animais menores. Para as análises de composição centesimal foram utilizados cortes de filé sem raio (FSR), filé com raio cartilaginoso (FCR) e cauda de 30 animais distribuídos nas mesmas classes de peso já descritas. Foram observados maiores níveis (p<0,05) de matéria mineral no filé com raio para animais entre 501 e 700g. Umidade e matéria mineral apresentaram efeito (p<0,05) entre os diferentes cortes com maiores valores para FSR, FCR, e cauda, respectivamente. Para as demais variáveis avaliadas não houve efeito (p>0,05) entre os tratamentos. Os resultados indicam que o aproveitamento das arraias de água doce pode ser realizado em todas as classes de peso. A composição centesimal associada ao bom rendimento dos cortes da carne revelam a espécie como importante recurso pesqueiro.

Texto completo:

PDF